Relacionada a diversas dores no corpo, distúrbios do sono, depressão e outras condições extremamente severas, a fibromialgia é uma doença de tratamento complexo, mas que felizmente evoluiu por meio de técnicas complementares, como é o caso do ozônio medicinal.

De acordo com dados da Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor, divulgados em matéria especial da Folha de Londrina, a doença é considerada a maior causa de dores crônicas no Brasil, presente em cerca de 2,5% da população.

A seguir, conheça os principais sintomas, tratamentos e causas da fibromialgia, além das novas possibilidades que o ozônio medicinal traz aos pacientes que sofrem com esse sério problema.

Saiba quais são as principais características da fibromialgia

Conforme mencionamos, a fibromialgia é uma patologia extremamente incapacitante, porque provoca dores crônicas no sistema musculoesquelético, sensibilidade extrema, alterações severas na memória e no humor, além da sensação de fadiga generalizada.

Entre outros sintomas, ainda podem surgir dores de cabeça e no peito, rigidez corporal, irritação na bexiga, formigamentos e tonturas.

Suas causas são desconhecidas, mas acredita-se que esteja associada a fatores genéticos, sedentarismo, esforços repetitivos ou excessivos, traumas ósseos e até abalos emocionais.

De simples incômodos a dores insuportáveis, a fibromialgia pode se manifestar em diferentes níveis, de acordo com as características e o grau de evolução de cada indivíduo.

Descubra o papel do ozônio medicinal contra a doença

Por mais que os meios de combate à fibromialgia sejam importantes e jamais devam ser abandonados, muitos casos podem ser frustrantes aos pacientes, dado o baixo índice de recuperação da patologia.

Frente a esse desafio, o emprego da ozonioterapia no tratamento da doença tem se tornado cada vez mais comum, não só pelo poder que o ozônio medicinal tem de curá-la, mas também por sua capacidade de otimizar os procedimentos médicos tradicionais.

O gás pode ser aplicado em pontos específicos de incidência da dor ou por meio de insuflação retal, ambos procedimentos seguros e livres de efeitos colaterais, que podem ser repetidos até a melhora efetiva do quadro do paciente.

Entre os seus principais efeitos no organismo, está o controle do excesso de radicais livres, a melhora da circulação sanguínea, o aumento da oxigenação dos tecidos, a diminuição das dores, a redução da fadiga generalizada e o crescimento da produção de serotonina, que melhora a autoestima e o humor.

Casos que comprovam a eficiência da ozonioterapia

Um dos casos mais marcantes sobre a eficácia do ozônio medicinal no tratamento de fibromialgia está registrado na Revista Espanhola de Ozonioterapia, em que pesquisadores avaliaram o impacto do gás nas dores e na qualidade de vida de quem sofre com a doença.

O estudo foi feito com 30 mulheres de 30 a 65 anos, que receberam 10 sessões de aplicações intramusculares duas vezes por semana, alternando com insuflação retal e aplicação intravenosa.

Sem a manifestação de efeitos colaterais, percebeu-se uma melhora de 33% no índice de dores dos pacientes já na segunda semana de tratamento! Os distúrbios de sono foram reduzidos em 46,6% das pacientes, enquanto o humor para as atividades diárias aumentou em 40%.

Como se não bastasse, 30% das pacientes ainda tiveram o consumo de drogas drasticamente reduzidas ao longo das sessões de ozonioterapia, o que contribui não apenas para a saúde, mas também para o bolso dessas pessoas.

E você, conhece alguém que sofre com fibromialgia? Fale sobre a ação do ozônio medicinal contra essa doença. Quer saber ainda mais sobre o assunto? Continue acompanhando o blog Saúde com Ozônio.

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *